Utrecht: Domtoren homenageia David Bowie

14
Domtoren em Utrecht na Holanda faz Homenagem a David Bowie

Em memória do cantor David Bowie, falecido no dia 10 de janeiro de 2016, a torre da Catedral de Utrecht (Domtoren) prestou uma homenagem inesquecível.

Primeiro foi com a música Space Oddity, tocado no dia do anúncio de sua morte. O vídeo com os simplesmente viralizou. A repercussão foi tamanha que, no sábado seguinte, a carrilhonista Malgosia Fiebig repetiu a dose. Mas, dessa vez, com um setlist de sucessos do artista.

Então lá foi ela mais uma vez subir os 465 degraus da torre de igreja mais alta de toda a Holanda - que tem pouco mais de 112 metros - para realizar seu trabalho.
homenagem a David Bowie na Domtoren em Utrecht
Ouvir David Bowie sendo tocado em um carrilhão de 1663 com os sons dos sinos ecoando por Utrecht foi uma experiência única. E para mim, particularmente, muito emocionante. Só quem me conhece sabe o quanto eu sou fã do Bowie. Bom, mesmo não me conhecendo, as dicas estão por aí: afinal, você acha que eu assino meus textos como Robbie Robbie ou abro o texto  "Sobre" citando Bowie por quê, cara-pálida? ;)

O canal oficial no Youtube transmitiu ao vivo o concerto, de dentro da sala onde fica a carrilhonista. Infelizmente essa informação não foi muito divulgada (caso contrário eu teria repassado, também), mas o vídeo continua disponível. Eu também gravei todo o concerto e subi uma playlist com os vídeos (obviamente, sem a mesma qualidade sonora), para quem quiser ver a experiência de quem estava assistindo da rua:

https://youtu.be/gCq4KKwPpag?list=PLdwtTYQGLoWELzkEaRWJmlCxlfSVKfEEd

Naquele sábado o tempo estava bem fechado pela manhã. E foi assim que começou o concerto, com as 11 badaladas marcando as horas e, momentos mais tarde, as primeiras notas de Under Pressure. Mas estamos na Holanda e o tempo aqui é completamente imprevisível (mais até do que em São Paulo, acredite)! Isso criou uma atmosfera que trouxe ainda mais significado para quem estava presente.

Foi assim com "Life On Mars?", uma música que me fez segurar as lágrimas. Mas se eu me contive, o céu, não. Nesse momento começa a cair a chuva, juntamente com uma neve bem úmida. O guarda-chuva não ia dar muita conta, então logo em seguida buscamos abrigo no Pandhof (o jardim do convento), um verdadeiro tesouro escondido de Utrecht.

Pandhof, tesouro escondido de Utrecht
Pandhof, tesouro escondido de Utrecht

Logo em seguida vem Changes. “Turn and face the strange”: tem música melhor pra representar esse período de adaptação de viver em outro país?

Já estávamos caminhando para a metade da apresentação quando começa a tocar Tonight. Confesso que não é das minhas músicas preferidas. Mas não pude deixar de lembrar do post da Iman no Facebook e pensar na dor dela, da esposa perdendo seu marido.

#Repost @sartorialgirl with @repostapp.・・・"i will love you til i die, i will see you in the sky #tonight" happy birthday mr. bowie 🎈 Publicado por Iman em Sexta, 8 de janeiro de 2016

Foi quando começou a nevar com mais força. Foi comovente ver a neve dançando com o vento e finalmente caindo sobre o jardim do convento.

https://youtu.be/AKtN1F4fyNQ?list=PLdwtTYQGLoWELzkEaRWJmlCxlfSVKfEEd

Já na reta final da apresentação, uma grande surpresa: Where Are We Now?, lançada em 2013. Eu havia lido uma entrevista da carrilhonista onde ela dizia que não seriam tocadas as músicas mais recentes. Ela mentiu? Mudou de ideia? Deu uma rasteira nos infames espalhadores de spoilers?

Não sei, mas obrigada! Sim, só posso agradecer, porque logo em seguida veio ela, grandiosa e imponente: Lazarus.

“Look up here, I’m in heaven. I’ve got scars that can’t be seen.” - David Bowie
Imediatamente eu olho para o Domtoren e a imensidão daquela torre, sozinha lá no alto, apontando para o céu ao som desses versos. E o que se vê não é mais aquele céu carregado e ameaçador, mas um céu limpo, ensolarado, cujas cicatrizes você de fato não pode mais ver.

Olhando para aquela imensidão, eu só consigo pensar que o Bowie encontrou o descanso e a paz que ele precisava. E que até a morte dele ele transformou em arte pra gente. De novo, ali em Utrecht.

https://youtu.be/WlJvkulLbm8?list=PLdwtTYQGLoWELzkEaRWJmlCxlfSVKfEEd

Mas o grand finale veio com a já famosa versão de Space Oddity. Dessa vez, com um diferencial, porque a música coincidiu com as 12 badaladas do meio-dia, nos lembrando de que o tempo estava se esgotando. Como já dizia a letra de Time, "Breaking up is hard, but keeping dark is hateful".

Então terminado o show, só restou à plateia bater palmas, agradecendo àquela manhã única, e ir embora com o sol que resolveu ficar naquele dia frio, só para iluminar nossos rostos.

Setlist:

  1. Under Pressure
  2. Let's Dance
  3. All The Young Dudes
  4. Life On Mars?
  5. Changes
  6. Starman
  7. Ziggy Stardust
  8. Tonight
  9. Absolute Beginners
  10. This Is Not America
  11. Heroes
  12. China Girl
  13. Where Are We Now?
  14. Lazarus
  15. Space Oddity

Domingo eu completei o ciclo indo à mostra David Bowie Is, em Groningen. Mas disso eu falarei no próximo post. Clica e vem comigo! :)

RESERVE SEU HOTEL COM O HOLANDESANDO Booking.com

14 COMENTÁRIOS

  1. Eu era fã do David Bowie. Foi uma perda incrível. A homenagem deve ter arrepiado muita gente. Amo várias das musicas do setlist. Parabéns pela postagem.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.