3 lições que aprendi morando na Holanda

25
Vida na Holanda Zutphen

Antes de me mudar em definitivo para a Holanda, eu já tinha vindo para cá diversas vezes. Sempre passando longos períodos – os 3 meses permitidos para turistas. Isso me ajudou a ter uma ideia do que viria pela frente. Mas a verdade é que, mesmo assim, chegar aqui de mala e cuia foi bem diferente.

Primeiro porque não tem mais data para "voltar pra casa". Minha casa agora é aqui, na Holanda. Segundo porque antes eu estava totalmente voltada para o meu namorado e como aproveitar o pouco tempo que tínhamos juntos. Morando aqui, é hora de conquistar meu próprio espaço. E com isso aprendi muita coisa interessante.

1. Existe vida além de Amsterdã – e ela é incrível

Markt no Festival Glow Eindhoven na Holanda
Eindhoven, a Cidade da Luz, durante o imperdível Festival Glow. (Foto: El Dude)

Um dos meus maiores medos ao me mudar para a Holanda era não me adaptar a uma cidade pequena. Eu passei a vida inteira em São Paulo. Estava acostumada com a vida cultural intensa de uma metrópole e toda a estrutura que ela oferece. Será que viver no interior da pequena Holanda ia dar certo?

Pra minha felicidade, deu muito certo! Eu descobri que as cidades aqui, independentemente do tamanho, têm toda uma infraestrutura pra se viver bem. Com uma curta pedalada na bike você faz compras, vai ao cinema, bares e restaurantes. Eventos pra lá de legais também não faltam no interior: me "batizei" no mergulho de ano novo, me esbaldei na visita aos campos de tulipas e já rolou até de patinar no gelo num lago congelado!

A qualidade de vida é imensa. Já o custo é beeeem mais baixo que na capital. E se der aquela vontade de curtir Amsterdã, em 1 hora de trem eu chego lá. O que é 1 hora no trânsito de São Paulo, minha gente?

Morar no interior é de boa. Mas isso é só uma parte da equação. Viver em outro país também envolve se relacionar com outras pessoas. No caso, com os holandeses. Que, acredite, são muito diferentes dos brasileiros. Hora da lição número 2.

2. Prepare-se para as tamancadas culturais

Moinho Keukenhof acompanhando de tamanco holandês e tulipas
Tudo na Holanda é lindo. Até um tamanco desse cair na sua cabeça! (Foto tirada no Keukenhof, o famoso parque das tulipas da Holanda)

O jogo é o mesmo: viver em sociedade. Já as regras... muito do que a gente considera comum e normal no Brasil pode não ser tão bem recebido assim na Holanda. E vice-versa. Daí começa o choque cultural.

Eu disse choque? Não, aqui é tamancada cultural mesmo. Vira e mexe vem aquele tamanco holandês de madeira e PAU na cabeça da gente:

  • Ir ao médico é escutar, na maioria das vezes, que é só descansar que passa. Se der sorte, ele te receita paracetamol.
  • Você está numa loja e quer ser atendido? Procure o vendedor. Ninguém vai ficar em cima de você.
  • Apareceu do nada na casa de um holandês bem na hora de filar a bóia? Não se espante se ele disser que não pode te receber agora e te mandar embora. Ou, se vocês forem mais íntimos, ele te deixar sentadinho no sofá esperando a família terminar a refeição.
  • Jamais pergunte nada a um holandês se você não estiver preparado pra uma resposta sincera. Em outras palavras, não pergunte a um holandês se você está gorda esperando confete. Porque ele vai responder que você precisa de uma dieta. Assim, sem rodeio ou filtro algum. E ele jamais vai entender por que você se chateou com a resposta.

Pois é, surra de havaiana de pau é para os fracos! Mas tudo é uma questão de perspectiva:

  • Aqui o vendedor não te mede de cima a baixo quando você entra na loja. Nem tenta empurrar o que você não quer, já que ele não depende de comissão.
  • Não existe a cultura de se tomar remédio pra tudo, de forma excessiva. O que, convenhamos, não é nada saudável.
  • Gente folgada aqui não tem vez. Também é o fim de botar vassoura virada atrás da porta pra visita ir embora.
  • Quando um holandês faz um elogio, pode ficar feliz, porque ele está sendo completamente sincero. :)

Para conseguir conviver pacificamente com essas diferenças culturais – o que nem sempre significa concordar com elas – é preciso entender como funciona a cabeça do holandês. Mas como fazer isso sem sequer entender o idioma deles? É aí que surge a terceira lição.

3. A vida acontece em holandês

O presente de Sinterklaas vem acompanhado de um poema para ler em voz alta. Em holandês!

Claro que falar inglês ajuda – e muito. Mas se você quer viver aqui e se integrar, vai ter de aprender holandês. Enquanto isso não acontecer, todo dia vai ser um 7x1 diferente.

Primeiro porque toda comunicação que você recebe do governo é em holandês. Até a carta da Imigração avisando que você precisa aprender o idioma pra obter o visto definitivo* vem em holandês! (*Isso para quem precisa fazer o Exame de Integração Civil, como foi o meu caso.)

O seu dia-a-dia também está em jogo. Sinalização, instrução da embalagem para preparar comida, o aviso do condutor do trem dizendo que houve problema nos trilhos e você terá de seguir viagem de ônibus. No meu caso ainda tem mais.

Quando a família toda se reúne, qual idioma eles falam? Holandês, naturalmente! Exigir que todo mundo passe a falar inglês só por minha causa não teria o menor cabimento. Fora que seria impossível: meus sogros não falam inglês. As crianças da família também não. Daí só há duas soluções.

Ficar sempre à parte, esperando alguém traduzir em uma frase o que está acontecendo, ou correr atrás de aprender esse idioma. O que exige tempo, muita paciência e persistência. Mas acredite, o resultado vale muito a pena. Aproveita e confira aqui 10 dicas para aprender holandês de graça! ;)

Os holandeses vão notar o seu esforço e vão te dar valor por isso. De repente, você está discutindo quem é o sabotador em "Wie is de Mol?" – porque você já consegue ver TV em holandês. As crianças não te veem mais como a tia que fala uma língua estranha – e até te contam como foi o dia delas na escola. Você deixou de observar tudo de longe e agora participa também. Parabéns!

O que outras brasileiras aprenderam na Holanda?

Falar sobre tudo o que se aprende morando na Holanda daria uma lista sem fim. Até porque todo dia a gente aprende algo novo. Por isso eu separei as 3 que eu considero as mais importantes pra mim. Mas para não ficar com uma só opinião do que é viver na Holanda, o grupo de Blogueiras Brasileiras na Holanda se reuniu e cada uma resolveu dar a sua visão. Vem conhecer o que cada uma falou sobre o assunto:

Little Jujuba | Ana de Amsterdam! | The Nerdylands | Vivendo na Holanda by Carol Alves | Bailandesa | Melissa na Holanda | Holandices | Beyond Windmills | Diário de Prato | Blog Metamorfose Fashion

E você, o que aprendeu vivendo em outro país? Ou se ainda não se mudou, quais são suas expectativas? Conta aí nos comentários!

Salve no Pinterest:

RESERVE SEU HOTEL COM O HOLANDESANDO Booking.com

25 COMENTÁRIOS

  1. Hahaha…amei!
    A maior tamancada que tive aqui foi sobre a tradicao de Sainterklaas. Eu estava a pouco tempo aqui e nao conhecia ainda. Foi qdo encontrei uma carta dizendo que Pitt queria muito conhecer meu, entao, namorado. Que Pitt sonhava com aquele momento e bla, bl, bla. E no final da carta, assinado Saint.
    Minha cabeca ciumenta logo imaginou que se tratava de alguma ex namorada (Saint) e que ela engravidou e queria que o filho (Pitt) conhecesse o pai.
    Briguei com meu namorado…foi um vexame. E que vergonha descobrir do que se tratava! Putz!

  2. Gente, recebi uma proposta para trabalhar em Holanda e por isso vim parar aqui para pesquisar um pouco sobre lá. Mas me sinto muito confusa pois se eu decidir ir será tudo muito novo.

    • Oi, Rebeka. Primeiro, parabéns pela oferta de trabalho! Será que você não consegue conhecer o país antes pra fazer um “test drive” e ver o que você acha daqui? 🙂

  3. Amei a parte da tamancada cultural. Pura verdade o que vc escreveu. Amei e dei muitas risadas.
    Obrigada pelo post.

  4. que post lindo!! realmente deve ser sofrido aprender o holandês, mas acredito que se já fala alemão deve facilitar, pois muitas palavras soam parecidas…apesar de serem escritas totalmente diferentes aheuahe
    achei um uó a pessoa terminar a refeição e receber depois aheuahe gente como assim deixar a visita passando fome hauehauwehau

    • Sim, sabendo alemão ajuda bastante! Pena que tá longe de ser o meu caso, rs. Quanto ao lance da comida, é porque tudo aqui é feito na quantidade exata, evitando desperdício. Daí quem chega sem avisar dança mesmo…

  5. Haha, adoro conhecer mais sobre a cultura holandesa por aqui… Imagino que este lance de quando a visita chega na hora do almoço e você fala volta outra hora ou espera ai no canto, seria bem apropriado pra colocar em pratica por aqui hehehe.

  6. OLa.

    Estou planejando uma viagem pela Holanda e estou adorando suas dicas….. vou ler seu blog todo…hehehe
    Obrigada por compartilhar.
    bjos
    Thais

  7. Texto muito legal! Gosto muito de conhecer essas diferenças culturais. Devo dizer que curti “o jeito holandês de ser” e como você disse, tem que fazer esforço, mas acredito que vale à pena no final! Conta mais pra gente, sempre que puder! 🙂 bj

  8. Quando morei no Brasil (fiquei lá durante um ano apenas), pensei que estava preparada, que conhecia a realidade do país porque assistia, de vez em quando, a telenovelas brasileiras. Ledo engano. Também levei umas leves “havaianadas”, porque a proximidade linguística ajudou um pouco.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.